Novidades do Blog da Schoba:
Coesão textual

Para quem escreve, para quem estuda ou para quem, como eu, escreve em um blog é sempre necessário estar atento à dicas de escrita e procurar saber sempre mais sobre como redigir um texto de qualidade.

E foi pesquisando sobre o assunto que me interessei muito por uma coleção de pequenos livrinhos de nome Soltando a Língua, escritos pelo famoso professor Sérgio Nogueira – aquele que faz parte do quadro Soletrando do programa Caldeirão do Huck.

Entre as muitas dicas contidas na coleção, um capítulo sobre coesão textual me agradou bastante, pois passa ao leitor, de forma muito didática, a importância da objetividade na construção do texto. Gostaria, então, de hoje compartilhar com vocês esta dica através deste post.

Segue abaixo um trecho do capítulo de Coesão textual da coleção. Espero que gostem!

Ouço muito: um bom texto deve ser claro e conciso. Não há dúvida de que a clareza é a principal qualidade do texto. Ser conciso, entretanto, é uma luta muito árdua, pois é preciso dizer o necessário com o mínimo de palavras, sem prejudicar a clareza da frase. É ser objetivo e direto.

Vamos pensar na origem da palavra texto: TEXTO, do latim “textu”, que significa “tecido”. Um bom texto, portanto, precisa ser bem tecido.

Porém, um dos princípios básicos de coerência de um texto é a necessidade de repetir alguns elementos anteriores. Para que o texto seja coeso e elegante, as repetições, que são inevitáveis, devem ser feitas em determinadas condições.

A princípio, a repetição das palavras se torna um problema quando os vocábulos repetidos estão muito próximos, quando os vocábulos são exatamente os mesmos ou quando a repetição é excessiva.

Portanto, atenção redobrada na hora de fazer essas tais repetições. Faça a substituição delas por pronomes ou sinônimos, de acordo com cada caso, e sempre tenha a preocupação de ler e reler o que você acabou de escrever.



  1. Simone Fernandes on Monday 1, 2011

    Maravilhosa dica. Muito Obrigada. Abraços.